top of page

O Luto


Para a psicanálise viver o luto ou enfrentar processos de perdas ocorre após um evento traumático que envolve perdas,  alguém ou algo.


O luto é cumulativo, perder uma pessoa querida, perder o trabalho, perder um lugar...


Hoje escrevo sobre o luto de um ente querido.


O luto é doloroso, porém, faz parte da vida,  em algum momento todos vamos estar frente a frente com a dor de perder alguém.


Como suportar/enfrentar o luto?


Não se esqueça nesse processo cada um tem o seu tempo de elaboração, baseado em singularidades.


Inicialmente o processo é negar...não pode ter acontecido, não quero acreditar!


Depois...Viver a perda, parte dolorosa, sentir a dor da despedida.


Nesse longo caminho, em alguns momentos conseguimos olhar e começar a identificar a perda, aqui é comum a procurar pelo ente querido, onde ele/ela está?


Chegamos aos questionamentos, "por que aconteceu?" Depois com profundidade permita-se perguntar onde eu me vejo naquela pessoa que não está mais ao meu lado? Onde ela está em mim? O que eu ainda tenho dela, o quanto dela eu quero manter.


Muitos sentimentos são companheiros dos enlutados...saudades, culpa e dor, são apenas alguns deles, por isso é preciso conceder permissão as emoções, sentir saudade, ficar com raiva, olhar para a dor, lidar tristeza.


O luto é um processo onde o sofrimento é por ausência. É uma dor completa, física e mental.

Muitos processos são vivenciados pelos enlutados.


Durante a vivência do luto é preciso autorizar a partida, olhar e perceber que o sofrimento não é por quem ou aquilo que eu perdi, o sofrimento é pelo que não foi vivido pelo interrompido.


Existem  as lembranças. Não faça delas  um recanto de sofrimento, mas um lugar onde é possível visitar, não de moradia.

Na análise descobre-se  que o luto não é sobre aquele que se foi, mas sobre quem ficou.




Sobre a autora:

Carina Camacho

Psicanalista

Instagram: carina.camacho_psicanalista


Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page